Receba o Novo Ano de braços abertos!

2017

 

Não é o Ano Novo que começa, mas nós que começamos nele. 

O calendário é contínuo e foi criado por homens para organizar o tempo nas sociedades e nas vidas das pessoas. Porém, esta organização não considerou os ciclos da natureza, das estações climáticas ou das fases da Lua que sabemos interferir diretamente sobre a natureza de nosso planeta. De qualquer forma, é este o nosso recurso e é ele que temos que usar se quisermos uma vida organizada. Pensando nisso, o início de um ano diz respeito ao tempo.

E você tem pensado em como administra seu tempo? Como organiza o seu tempo em sua vida ou na vida dos que dependem de você?

Pensar neste assunto de vez em quando pode fazer grande diferença em nossa satisfação de viver, não é mesmo?

Vamos lá: quando eu digo que nós é que entramos no Ano Novo, eu me refiro a uma nova época para fazer coisas que sejam produtivas e que nos tragam mais alegria. São os pequenos gestos de mudança que nos estimulam e fazem as nossas vidas valerem a pena de verdade.

Assim, é importante usar partes deste primeiros dias do Novo Ano para pensarmos como queremos que ele seja, o que queremos que aconteça, não como quem espera um “milagre”, mas como quem sabe que precisa atuar no tempo para que as coisas aconteçam. Traçar metas e objetivos além de ser muito estimulante, pode nos ajudar a pensar em como queremos que seja a nossa vida neste novo tempo e atuarmos de forma decisiva para chegarmos lá.

Atuar sobre o tempo é planejar. É escrever (para quem gosta de escrever) ou gravar mensagens, ou fazer cartazes, que sirvam como lembretes de como quer que as coisas aconteçam. Se você quer marcar seu check-up de saúde, não deixe o tempo passar sem fazê-lo: ligue até dia 10, agende até dia 15 de fevereiro e faça os exames até dia 20, por exemplo. Trace o plano de forma objetiva e clara, pois somente assim você vai conseguir realizar o plano de forma consciente e sentirá o alívio do bem-estar.

Quem comanda a sua vida é (ou deveria ser) VOCÊ! 

E quanto melhor você fizer esta tarefa, melhor você vai se sentir, pode acreditar!

 

“Mas e os planos que vamos abandonando pelo caminho ao longo do ano?”

Quando eu falo em traçar metas, eu me refiro aos objetivos que sejam possíveis, que respeitam os nossos limites e as nossas condições físicas, psíquicas, sociais, financeiras, etc.

Acredito que quando traçamos metas que sejam inalcançáveis, que estão fora das condições que citei, a chance de nos frustramos é imensa e por isso, desistimos no meio do caminho – claro que se você sabe que tem a tendência de abandonar seus planos sempre, há anos e há anos se sente frustrado, talvez uma boa meta seja fazer psicoterapia para entender o que é que acontece consigo, certo?

Trace objetivos de modo claro, preciso e o mais detalhados possível. Não confie apenas em sua memória, anote, fotografe, faça gravações falando o que você quer e de preferência, estipule datas e prazos. Se não conseguir até tal data, veja se é viável dar uma esticada no prazo ou se é melhor estabelecer um novo tempo. Isso vai depender do que aconteceu que lhe impediu de cumprir o primeiro combinado. Seja honesto consigo e faça valer a sua palavra. Confie que é possível, sempre!

E se eu não conseguir, não porque abandonei, mas porque não deu certo?

Se não conseguir, por qualquer motivo, vale parar e pensar no que o impediu. Se foram situações que não dependeram de você, prorrogue ou passe para outra meta. Se foram os seus medos, seus receios, sua preguiça, sua incapacidade, sua pressa, sua insegurança, sua procrastinação, sua desistência, sua covardia, seu orgulho ou qualquer tipo de impedimento pessoal, interno, consciente ou quase consciente, tome contato com ele e perceba o que é. Sim, não é fácil, traz uma certa angústia, mas pode ser a grande sacada que você terá sobre si mesmo que o fará mudar como pessoa, para ser alguém mais próximo do que você deseja ser. Pense nisso e caso perceba que não vai conseguir mudar sozinho procure ajuda.

Psicólogos costumam ser muito bons nisso, acredite!

Minha proposta aqui é proporcionar uma oportunidade de pensarmos de um jeito diferente do que pensamos na maior parte de nossas vidas. Não quero propor autoajuda ou nenhum tipo de saída imediata ou do tipo “tenha sucesso em 5 passos”. Aliás eu não gosto muito dos tais passos para qualquer coisa. Eu penso que a passada de cada um varia de acordo com o tamanho de nossas pernas, por isso acredito sim na individualidade e na essência pessoal, que todos carregamos dentro de nós e com a qual fazemos a diferença em nossas vidas e nas vidas das pessoas que convivem conosco. Se eu consegui fazê-lo pensar em SUA VIDA, estou feliz e atingi meu objetivo com estas palavras.

Espero também que este texto tenha ajudado você a refletir um pouco sobre esta euforia que sentimos na noite do dia 31, mas que se for “fogo de palha” não nos traz nada de proveitoso. Do contrário, quando pensamos e agimos para sermos pessoas mais parecidas com o que queremos ser, ou termos a vida mais parecida com a vida que queremos ter, as coisas começam a ficar mais claras e nosso ânimo aumenta, nos jogando para a frente e nos fazendo assumir o controle de nós mesmos!

Pensemos nisso e recebam meu desejo de um ótimo início de 2017 para todos nós!

 

Related posts

One Thought to “Receba o Novo Ano de braços abertos!”

  1. Carlos Coutinhoi

    Lindo texto. Parabéns

Leave a Comment